domingo, 20 de dezembro de 2015

Lista de DAWs(Digital Audio Workstation) Freeware

    Este blog tinha primeiramente o objetivo de divulgar softwares open source. Porém, não temos muitas opções de DAW no universo open source( as poucas que conheço e que merecem menção são MACAW, ROSEGARDEN e ARDOUR). Muitos softwares como OpenMPT e LMMS são alternativas muito boas para quem quer fazer música no computador, mas não gravam áudio, então o sujeito fica limitado a plugins com interface via MIDI ou a samples já gravados e editados em outros aplicativos. Tendo em vista essas limitações, resolvi fazer uma seção de links para DAWs freeware, ou seja, não são programas de código aberto mas que podem ser usados sem nenhum custo para o usuário. Geralmente se tratam de versões com menos recursos de softwares pagos, mas mesmo assim vale a pena dar uma olhada. Eu particularmente recomendo o Tracktion 4, que antigamente era um software pago. Porém, com o lançamento do Tracktion 5, os desenvolvedores resolveram gentilmente disponibilizar a versão mais antiga como freeware.

  Quem estiver com disposição para dar uma olhada, coloquei os links para vários daw freeware que merecem atenção. Se alguém tiver mais algum para sugerir é só postar nos comentários que nossa equipe colocará na seção de links.

Tracktion 4 em ação, uma das melhores opções para quem não quer gastar $$

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Gravando no Lmms - Parte 1 - Controlador MIDI

   O LMMS, infelizmente, não tem um suporte muito bom à gravação através de dispositivos MIDI. As únicas mensagens MIDI que podem ser gravadas são Note ON/OFF e Velocity, ou seja, só se pode gravar as notas e suas intensidades. Se você quiser, por exemplo, automatizar o controle "expression" você terá de fazê-lo manualmente, como explicado no último tutorial.

Essas informações são baseadas na última versão do LMMS disponível, a 1.1.3. Se seu LMMS está numa versão anterior é recomendável visitar a página de downloads e baixar a versão mais recente. Não sabe como ver qual a sua versão do programa? Com o programa aberto, vá no menu Ajuda->Sobre, lá terá essa informação. 

Configurando Áudio e MIDI


    Antes de gravar, a primeira coisa que devemos fazer é configurar o áudio e dispositivos MIDI para que o LMMS os reconheça e não tenha problemas de latência(delay entre o comando no controlador e o som no computador). Primeiro vamos em Editar-> Opções:
     Nessa Janela, a primeira coisa que devemos ajustar são as configurações de áudio. Infelizmente, o LMMS não tem suporte nativo aos drivers ASIO, apesar de existirem alguns usuários que relatam ter conseguido utilizar esses drivers, especificamente o Asio4All, que permite que se tenha bons valores de latência em hardwares modestos. Mas enfim, no meu computador consegui melhores resultados de latência utilizando o BACKEND Windows WASAPI. Na configuração DEVICE, selecione o dispositivo onde estão conectadas suas caixas de som ou fones de ouvido, ou seja, o dispositivo de saída de áudio. Infelizmente, também não se tem suporte a entrada de áudio pelo LMMS, o que significa que você não poderá gravar sua voz ou guitarra pelo programa.




Depois é só configurar o MIDI: Basicamente entrar em Configurações do MIDI e selecionar WinMM MIDI(No caso do Linux ALSA-Sequencer), depois disso, reinicie o LMMS para as configurações terem efeito. E agora que vem o pulo do gato: Para processar o audio em tempo-real o seu computador gasta muito poder de processamento e isso está diretamente relacionado à configuração de buffer. Em poucas palavras: O tamanho do buffer é a quantidade de amostras que o seu computador vai esperar para processar o áudio, ou seja, se o buffer for muito baixo o seu computador irá esperar um espaço menor de tempo e terá que processar a informação mais rapidamente, o que resultará numa reposta mais rápida entre o toque no controlador e a emissão do som no software. Em compensação, o seu processador terá que trabalhar num ritmo mais pesado e se ele não aguentar você provavelmente ouvirá alguns chiados no som que significam falhas no processamento. Em resumo:

Tamanho do buffer alto = Latência Alta = Processador menos sobrecarregado
Tamanho do buffer baixo = Latência baixa = Processador mais sobrecarregado

Um valor de Latência ideal no LMMS geralmente é em torno de 5.8ms, se o seu computador não aguentar você pode ir em  Editar-> Opções e mudar para um valor maior. Se estiver com muita latência(atraso), diminua o valor.

Configurações do MIDI                                      Tamanho do Buffer


Até aqui entendi, mas quando vamos gravar?

    Se leu até aqui é porque tem paciência, o que é bom pois este é um ingrediente indispensável para quem quer aprender LMMS. E agora que encerramos os ajustes de áudio, iremos configurar o nosso controlador. Para isso, primeiro iremos adicionar um instrumento no nosso projeto, nesse caso utilizei o BitInvader, é só pressionar e arrastar para o Editor de Arranjos:



Agora para associar o controlador MIDI ao seu instrumento basta clicar na track do BitInvader que você acabou de adicionar e fazer o procedimento igual ao da figura abaixo na janela de configurações do instrumento, selecionando seu controlador( No meu caso Oxygen 49).

Note que deixei em branco os campos CANAL e INTENSIDADE, o que significa que qualquer canal MIDI que eu tocar eu enviarei notas para o BitInvader, o que não é problema se eu tiver apenas um instrumento, mas se tiver mais cada um tem que estar em um canal diferente para que não sejam tocados ao mesmo tempo. O campo INTENSIDADE deve ser preenchido se for desejado tocar com uma intensidade fixa, ignorando a sensibilidade do teclado/pads.

Agora vai lá e tenta tocar alguma coisa aí no seu controlador. O som tá muito alto? Isso é porque a maioria dos instrumentos nativos do LMMS tem um ganho muito alto de som. Para amenizar essa situação recomendo ativar a opção CUSTOM BASE VELOCITY e jogar o valor para 127. Isso significa que o LMMS vai pegar o som mais alto emitido pelo instrumento e normalizar todos os outros a partir dele, ou seja, o instrumento não irá "clipar" com o volume(VOL) a 100% tocando uma nota. Mesmo assim recomendo dar uma diminuida no volume a pelo menos 20% para deixar uma faixa dinâmica razoável.


Acho que esse tutorial é uma enrolação, não vamos gravar nunca!

Vamos sim! Agora chegou a hora! Primeiro, na track do BitInvader de um clique com o botão esquerdo do mouse para criar uma sequência(Bloco Preto) e depois dê um duplo clique na sequência para entrar no Editor de Notas MIDI, mostrado abaixo:



Aqui no Editor que iremos gravar com o nosso controlador, mas para isso precisamos saber  conceito de  Grid. O grid nada mais é do que essas divisões presentes no editor, sendo que a menor divisão possível é a quantização(Retângulo vermelho), que pode ser ajustada no quadrado ao lado da letra Q, realçado pelo círculo laranja:



No exemplo acima a quantização está em 1/16, o que significa que cada compasso(retângulo verde) terá 16 divisões. Em termos gerais, se você quiser mais "liberdade" para gravar você deve selecionar o valor mais baixo possível(exemplo: 1/192) porque as durações das notas e as posições das mesmas são atreladas à quantização no LMMS.

Agora é só apertar gravar e taca-lhe pau né!?

Que pressa é essa garotinho? Ainda falta ajustar o andamento da sua música e a formula de compasso(ver o último link) da nossa canção. No LMMS o andamento é ajustado em BPM(Batidas por Minuto), para fazer esses ajustes confira a imagem a seguir(pressionar o botão esquerdo do mouse e arrastar):



Nesse caso, nossa música terá um andamento de 120 batidas por minuto e  será em 4/4.

Agora mãos a obra. Depois de feito todos os ajustes, e com o editor de notas MIDI aberto, basta clicar no botão de gravação(retângulo azul)  para gravar sem ouvir os outros instrumentos e com metrônomo ou então no botão de gravação com acompanhamento(retângulo roxo) para gravar ouvindo os outros instrumentos do editor de arranjo. Depois de gravado, é possível fazer ajuste das notas e automação MIDI(ver parte 2 de Carregando VSTs no LMMS) além de vários outros ajustes que abordaremos nos próximos tutoriais.

Só isso?

Infelizmente, sim!! Dúvidas nos comentários.

domingo, 30 de agosto de 2015

Carregar VST no Lmms - Parte 2 - Automação e Presets


Essa é a parte 2 deste tutorial que postei a algum tempo atrás:

http://opentutoriais.blogspot.com.br/2009/05/carregar-vst-no-lmms.html
Recomendo que você o leia antes de continuar neste.

Nesse tutorial foi utilizada a última versão em português do LMMS. Note que o LMMS utiliza a linguagem
padrão do seu sistema operacional.

Automação de Controles















Quando você carrega o seu efeito ou instrumento VST( VSTi), você nota que ele tem uma série de controles para ajustar. Num sintetizador, por exemplo, você tem volume, formas de onda, atack, sustain e muitos outros. Esses controles podem ser ajustados e continuarem com o mesmo valor durante todo o seu projeto, ou eles podem variar com o tempo de acordo com definições do usuário. A este último damos o nome de automação.

Legal, quero aprender, explica aê!

 

Esse é o OBXD, um plugin sintetizador de sons que utilizei no tutorial. Veja que ele é cheio de controles
como OSC 1, PW, OSC2, XMOD.....  esse controles ditam a cara que vai ter os sons produzidos pelo
sintetizador. O OBXD é um VST freeware e o download pode ser feito aqui: obxd.wordpress.com

 Ta bom, entendi, mas onde entra e a automação?

   Pra começar, temos que jogar uma instância do plugin "VeSTige" no "Editor de Arranjos", daí carregamos
o plugin OBXD no VeSTige, mas isso você já sabe porque já leu o a parte 1 desse tutorial.
   Agora, com o plugin carregado, você vai clicar na chave de boca que tem no VeSTige. Ao clicar nela,
você abrirá a versão sem GUI(Interface Gráfica) do plugin. Todos os plugins VST tem uma versão sem
interface gráfica, que consiste só nos controles do plugin e seus respectivos valores.




Quando clicar na chave aparecerá essa janela abaixo, onde você pode ajustar os controles do seu
plugin um a um. Cada plugin tem seus próprios controles, independente de quais sejam, todos aparecerão
nessa janela. Ao clicar com o botão direito do mouse por cima de um controle, aparecerá o menu da imagem abaixo, ela tem algumas setas que são:
1 - Resetar: Volta o valor desse parâmetro para o valor original, que estava antes de você mudar.
2 - Editar Automação global da música: Aqui que você vai entrar para editar a nossa automação
3 - Conectado ao controlador: Aqui você pode associar esse parâmetro a um controle de um controlador MIDI caso você tenha um. Se você não sabe o que é um controlador MIDI recomendo que faça uma
pesquisa no Google.
4 -  Set logarithmic/Set linear: Diz como o ajuste feito aqui nesse controle irá afetar o plugin. Por exemplo,
se for linear e você aumentar 5% esse ajuste, o valor no plugin também aumentará 5%. Agora se for
logaritmica, o ajuste feito aqui aumentará exponencialmente no plugin. Se você não sabe o que é uma operação logarítmica e exponencial recomendo que leia um bom livro de matemática.



 Eu tenho um controlador MIDI, como eu faço pra associar os controles dele a esses parâmetros?

   É muito fácil, é só você ir na opção três e vai aparecer a janela abaixo:

Aqui, primeiro você seleciona o controlador na figura daquele
tecladinho que tem do lado direito. Depois você pode entrar
os valores manualmente, ou então clicar na opção
Auto detectar e mover o controle no seu controlador MIDI.
Pronto, agora você pode gravar a automação a partir do
seu controlador MIDI, boa sorte...só que não. O LMMS
ainda(estou usando a versão 1.0) não tem suporte à gravação da automação MIDI, você somente consegue gravar as notas do seu teclado, mas os controles não. Ou seja, os ajustes que você fizer no seu controlador serão fixos, não dá para automatizar.






Poxa, que chato, como é que eu faço para automatizar então?

Você terá que utilizar o editor do LMMS e fazer tudo na mão!

Então agora vamos voltar ao nosso OBXD. Colocamos o VeSTige no Editor de Arranjo, carregamos o
OBXD, e clicamos na chave de boca. Agora estamos na janela dos controles, iremos clicar com o botão direito do mouse no controle Tune e ir na opção Editar Automação global da música.

 
 
  Pronto, agora Você tem aí o editor de automação, que no LMMS é bastante simples. Para escrever valores, que são os pontos, clica no lápis, para apagar borracha.
  As formas de transição são como o valor mudará de um ponto para o outro, que pode ser brusca( primeira opção) ou de forma suave, linear ou curva.
  Outra coisa importante para prestar atenção é a quantização. Em poucas palavras, é a resolução que você vai editar a automação, quanto menor o valor, maior vai ser a resolução.
  Na imagem acima, temos três pontos escritos entre o primeiro compasso do arquivo até o terceiro e entre eles há uma transição suave linear.
  Agora pra testar essa automação escreva alguma nota no Editor de Arranjo no trecho que fizemos a automação e você vai ver que a afinação dela irá variar suavemente. Essa variação será fruto da automação
do parâmetro Tune. 

Presets

  Lembra de todos aqueles controles que podemos ajustar no nosso plugin? Seria muito chato ter que ajustar toda vez que abrimos o plugin e colocar os valores que queremos. Para isso que existem os presets, ou patches, que não são nada mais nada menos que uma "foto" dos ajustes feitos em cada um dos controles do nosso plugin. O LMMS, em específico o VeSTige, trabalha com os formatos de preset fxb e fxp. Esses formatos são nativos da Steinberg, que foi quem inventou a tecnologia VST, e por essa razão esses formatos são considerados universais e aberto na maioria dos DAWs(Audio Digital Workstation). Isso quer dizer que se eu salvar meu preset do OBXD aqui no LMMS eu poderei abrir esse mesmo "pacote de ajustes" no Pro Tools, Cubase, Logic, Reaper e etc... 

Conte-me mais sobre isso...


  Trabalhar com presets( o LMMS chama de pré definição) é muito fácil. Você vai ver que na janela do VeSTige a parte de baixo corresponde aos presets. Nela você pode abrir, salvar e selecionar o seus presets. Quando você abre um plugin VST ele já vem com um banco de presets junto dele. Você pode ver abaixo que o eu estou com um banco de 128 presets e estou usando o de número 1 que criei nomeando tutorial1.